quinta-feira, 16 de outubro de 2008

AMORA - sobre fios e tecidos


















Trabalhei bem hoje pela manhã. Dei conta de demandas. Tudo certo. Tudo bem. Tudo normal. Mas, o que fiz de mais significativo - por que sempre quero significar de modo especial os dias - foi olhar todo o tempo para a bonequinha que vc me deu. Coloquei ela bem na minha frente, em cima da CPU. Justo para poder mantê-la ao alcance das vistas. Não que ela tenha cara de fujona ou me ameace de alguma forma... rsrsrs É o contrário: é a entrega que vivemos ontem à noite que passa novamente em mim. Não tem como traduzir em palavras, você sabe.


Mas, só depois de umas horas, depois de meus olhos rapidamente passarem várias vezes pelo seu vestido rosa na busca de papéis, canetas, grampeador, é que me dei conta de como recebi este seu presente. E de como ele se tornou especial!


Tudo parece fazer sentido. Tudo parece muito encaixado, sincronizado! A bonequinha, linda, artesanal, simples, bem delicada, escolhida por vc (que gosta de coisas bonitas, simples e as faz serem especiais, e por isso se torna especial para mim) é de tecido e de fio! A história da Oficina que mais tocou ontem (o dia em que recebi esta bonequinha), foi a de Fátima Fiandeira, uma mulher que aprendeu a fiar e a tecer apenas por ocasiões e situações difíceis que passou. E foi fiar e o tecer que a conduziu ao que sempre necessitava: estabelecer-se. Tecido é trama e fio conduz ou liga. Confiar: fiar com; fiar junto. Têxtil. Texto. Histórias...


Pois bem: aqui estou eu, pasma com essas conexões que Amora me mostrou sobre o nosso encontro, sobre o que vivemos e o que queremos viver juntos. Essa história não dá para deixar passar, né?!




Um comentário:

somdoroque disse...

LINDO

LINDO

LINDO

fiquei muito feliz de ver o inicio de algo tão bonito... sinto que isso é só o começo de belos fios e versos escritos por você...

acredito mesmo nisso
acredito mesmo em você...

beijos enormes